18 de junho de 2015

Meu lugar é o Brasil

Até cerca de novembro de 2014, eu não sentia esse amor todo pelo Brasil. Não me sentia verdadeiramente brasileiro, mesmo tendo nascido, crescido e vivido aqui. Não sei porquê. Não sou aquele brasileiro típico, do ponto de vista físico. Tampouco identifico-me com os aspectos culturais estereotipados do brasileiro: futebol, samba e carnaval. Me sentia preso às origens dos meus antepassados.

Dos meus bisavós paternos (pai e mãe do meu avô e pai e mãe da minha avó), somente a mãe do meu avô era brasileira. O pai do meu avô e o pai e mãe da minha avó vieram da Síria ainda jovens. Do meu lado materno, meus quatro bisavós eram portugueses e vieram de lá, já casados.


Bandeira da Síria
Meus bisavós sírios eram Muçulmanos "não ortodoxos" (se é que isso existe), segundo meu pai me disse. Por exemplo, eles não se ajoelhavam em direção a Meca, quando de suas orações. Minha avó, diferentemente, era católica. Daquelas de rezar o terço todos os dias e ir, regularmente à igreja.

Apesar da origem árabe, nossa família guardou poucas tradições. Na verdade, somente uma: a culinária. Ninguém da família falava árabe, se vestia como tal ou tinha outros comportamentos. Somente preservaram a culinária! :)

A comida de todo domingo!
Meus avós, tios-avós, tios e demais membros da família não desenvolveram a atividade econômica típica dos árabes - o comércio. Cada um enveredou por um ramo: médicos, engenheiros, professores... Além do mais, tenho tios Messiânicos, Espíritas, Católicos, Espiritualistas...

É como se, com a vinda deles pra cá, tivessem rompido definitivamente a ligação com a Síria. Mesmo assim, me sentia atraído por essa parte da minha árvore genealógica, não me identificando muito com o Brasil e eram frequentes, os pensamentos de "voltar pro 'nosso' país de origem" e coisas do tipo.

Porém, após ouvir um tio falar coisas que "se estamos aqui, é porque nossos antepassados vieram pra cá. Que forças superiores os devem ter guiado para cá, para que cada um de nós 'desembarcasse' aqui. Aqui é o nosso lugar".

Meu lugar é o Brasil
Achei bem interessante essa colocação e me pus a refletir profundamente sobre isso.

E cheguei à conclusão que a imigração/fuga dos meus bisavós da Síria não pode ter sido em vão. Eles não saíram de lá só por conta dos problemas que aflingiam seu País ou mesmo perseguição religiosa (do que eu suspeito muito!). Afinal, era o País deles; a nação deles; a vida deles. Eles devem ter tido fortes motivações para tal, quer seja conscientemente ou guiados e inspirados por forças superiores.

Acompanhando as notícias dos conflitos na Síria, fico imaginando que nem todos os que lá estão tiveram a mesma sorte ou oportunidade de fugir de lá. De não presenciar os horrores da guerra...

Então, tive aquele estalo que estou no País certo. Que o Brasil é, verdadeiramente, o meu lugar. Não que o Brasil seja o "paraíso na Terra", mas que com seus problemas, nos permite muita coisa: inclusive viver (ainda que alguns digam 'sobreviver'). E, se estou aqui, me sinto parte fundamental dessa sociedade e devo fazer alguma coisa pelo meu País!

De lá pra cá, tenho lido bastante coisa sobre a história mística do Brasil, sobre a sua destinação espiritual em receber novos imigrantes e ser o lar acolhedor daqueles que vêm fugido de qualquer canto.

Por isso, estou plenamente ciente que meu lugar é o Brasil!

E esteja ciente você também: seu lugar é o Brasil!

Paz a todos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário