20 de junho de 2015

Radiação Cósmica e Luz alteram o DNA*


* Este artigo é baseado em pesquisa acadêmica referenciado em "The Source Field Investigations: The Hidden Science and Lost Civilizations Behind the 2012 Prophecies" de David Wilcock e no seu livro "The Synchronicity Key: The Hidden Intelligence Guiding the Universe and You". Eu recomendo que você vá para ambos os livros para mais informações.

DNA é essencial para qualquer compreensão científica da vida. Uma fita da dupla-hélice detém o código completo que é necessário para clonar um organismo inteiro. O processo de formação de DNA é o que está agora em debate, como os fundamentos da física quântica com o objetivo de explicar como o DNA começa como uma "onda", em vez de uma molécula. Esta nova ideia sugere que o universo é composto de um complexo invisível padrão de onda que forma a matéria pela aplicação de forças micro-gravitacionais. Em uma escala molecular, as informações, sob a forma de ondas, puxa átomos e moléculas dentro para criar as estruturas mais complexas, tais como DNA. Assim, se esses padrões de onda fossem visíveis, o espaço vazio apareceria como padrões geométricos fluidos, tais como a forma de uma cadeia de DNA, e iria puxar em átomos para formar uma réplica física do padrão de onda.




Uma nova pesquisa revela algumas propriedades notáveis de DNA, que sugere que uma "força oculta" desempenha um papel na formação da vida no universo

Em um estudo publicado no "Journal of Physical Chemistry" pelo Departamento de Química do Imperial College London, a idéia de forças micro-gravitacionais formando matéria em padrões de ondas foi testemunhado pessoalmente. Dr. Sergey Leikin colocou diferentes tipos de DNA em uma solução salina de água, e diferenciou as várias fitas de DNA com cores. Notavelmente, as fitas de DNA marcadas com cores foram atraídas uma para outra,  movendo-se grandes distâncias para encontrar seus pares correspondentes, e cada fita de DNA foi emparelhada corretamente. Embora Dr. Leikin equiparou que o fenômeno com possíveis descargas elétricas, outra pesquisa revelou que a gravidade era o provável responsável.

Em uma experiência surpreendente realizada pelo ganhador do Prêmio Nobel Dr. Luc Montagnier, DNA foi criado aleatoriamente a partir de nada mais nada menos que água esterilizada. O experimento usou dois tubos de ensaio selados separados, um contendo água esterilizada e outro contendo tanto de água esterilizada e DNA. Após eletrificar ambos os os tubos e deixá-los em repouso por 18 horas, Dr. Montagnier ficou surpreso ao ver que o tubo que continha originalmente somente água tinha produzido minúsculos filamentos de DNA. Este foi um choque por muitas razões, principalmente porque a água contém apenas hidrogênio e oxigênio e uma molécula de DNA é muito mais complexa. Como poderia algo como isso acontecer? Parecia que o DNA tinha sido "teletransportado" de um tubo para o outro, como se estivessem ligados por uma força desconhecida.

Poderia este experimento revelar que as forças do universo estão constantemente a tentar formar vida onde for possível, por ondas micro-gravitacionais ocultas? Em 1984, um cientista russo chamado Dr. Peter Gariaev descobriu outra propriedade notável do DNA: cada fita tinha a tendência natural para absorver e armazenar centenas de milhares de fótons (partículas de luz). Dr. Gariaev colocou DNA dentro de um pequeno recipiente de quartzo e para sua surpresa, o DNA absorveu cada fóton da sala. A gravidade é a única força que nós sabemos que a luz pode dobrar assim, portanto, o experimento do Dr. Gariaev reforçou a idéia de uma força micro-gravitacional oculta.

As coisas ficaram ainda mais estranhas quando o Dr. Gariaev removeu o DNA a partir do recipiente de quartzo. Para seu espanto os fótons que originalmente tinha sido absorvidos pelo DNA ficou no recipiente de quartzo na forma exata do DNA. Qualquer um teria pensado que os fótons deveriam ter se dispersado, mas parecia haver uma força desconhecida mantendo os fótons no lugar. Dr. Gariaev bombardeou os fótons com gás nitrogênio para dispersá-los e em poucos minutos os fótons foram atraídos de volta para a mesma área e formou a mesma forma DNA "fantasma". Este experimento sugere que a gravidade tem uma estrutura quântica e pode existir sem a presença da matéria, permeando todo o universo. Se o nosso DNA pode armazenar luz, então poderia raios cósmicos ter um efeito sobre sua estrutura?

Estas descobertas podem fornecer enormes implicações para a ciência e nossa compreensão do universo. Se a gravidade tem propriedades quântica inteligentes, então ela poderia ser a prova de que a vida existe ou tem a capacidade de ser formada por todo o universo. Mais estudos com DNA revelaram habilidades ainda mais interessante, quando o cientista italiano Pier Luigi Ighina foi capaz de transformar uma árvore viva de damasco em uma árvore de maçã por bombardeá-la com ondas de informação de DNA. Ighina também bombardeou um rato com a onda de DNA de um gato, fazendo crescer um rabo parecido com o de gato dentro de dias. Estes experimentos apoiam a ideia que DNA é formado a partir de ondas de informação, e a partir disto, podemos sugerir que a nossa evolução pode ter sido influenciada por raios cósmicos que transportam informação codificada do nosso Sol.

É surpreendente que tais descobertas não despertaram a atenção da grande mídia. Estas descobertas podem alterar os fundamentos da física e bioquímica como as conhecemos. Atualmente, há evidências que sugerem que uma força inteligente está guiando a evolução da vida em todo o universo que nos leva um passo mais perto para compreender os mistérios divinos da nossa existência dentro do Cosmos.

Referências:





Nenhum comentário:

Postar um comentário