17 de fevereiro de 2016

Uma visão de Registros Akáshicos

Olá a todos!

Quero compartilhar com vocês algumas coisas que têm acontecido comigo, em especial UMA!

Bom, desde que me conheço por gente, tenho o que se chama de insights, visões, premonições... É um flash tão rápido mas que transfere tanta informação que é incrível.

É como se pudesse saber toda a história de um livro em apenas uma imagem. E essa imagem dura o tempo suficiente para eu saber a história toda (ou as partes que me são liberadas).

Pois bem. Isso já aconteceu comigo diversas vezes. Algumas delas, eram informações relevantes para mim, como a separação dos meus pais. Outras eram visões de futuros possíveis e algumas delas eram informações de vidas passadas.

Há algum tempo fiquei conhecendo os Registros Akáshicos (não vou discorrer sobre eles. Existem bons conteúdos sobre isso...). Basicamente são informações de vidas passadas que ficam registradas no nosso DNA e disponíveis no Universo em forma de vibrações.

Bom, estou me aprofundando sobre isso e tenho obtido bons resultados. No entanto, ainda não estou pronto para divulgar as visões que tenho tido. Porém, uma em particular, me chamou atenção e senti que deveria compartilhá-la com vocês.

A visão
Um amigo da família nos procurou, em prantos, para pedir que orássemos pela irmã dele, que encontrava-se em coma induzido por ter perdido os filhos gêmeos, com 4 meses de gestação.

Um dos bebês não sobreviveu e foi expelido naturalmente. Com isso, a mãe correu para o hospital para verificar se o outro bebê estava bem. Para sua surpresa, ele também não conseguira sobreviver, mas não foi expelido naturalmente. Por isso, foi submetida a procedimento cirúrgico para retirada deste bebê, juntamente com o útero e outras coisas.

Durante o procedimento, ela entrou em choque e precisou ficar em coma induzido. Nesse estado, ela teve uma infecção generalizada (sepse) e estava recebendo fortes medicações pelas veias das pernas e de um braço.

O médico informou à família que sua condição de vida era de HORAS. E SE ela sobrevivesse, poderia perder uma ou as duas pernas e o braço.

Diante disso, seu irmão (e amigo da família), pediu que fizéssemos uma corrente de pensamentos positivos pela sua irmã.

Enquanto nos reuníamos para orar por ela, uma tia falou que a moça estava muito feliz no casamento e que havia conseguido engravidar após não-lembro-quantas tentativas. E que os 2 embriões estavam se desenvolvendo bem.

Foi nesse instante que tive o flash de informação!

Nessa visão eu vi a moça perante o que parecia um tribunal, um juiz. Mas não havia clima de severidade ou julgamento, parecia uma reunião. Lá estavam diversas outras pessoas de branco, com os braços pra trás e cabeça baixa. A moça estava desorientada, sem entender o que estava ocorrendo.

Nessa "reunião", a figura que estava à frente da moça lhe disse que ela havia vindo para a Terra para cumprir seu karma. E seu karma era não poder gerar filhos. Que ela não se lembrava disto, mas ela mesma optou por isso.

No entanto, ela bloqueou o pagamento do karma, com técnicas não naturais. E que isso era muito sério PARA ELA!

Nesse momento, a visão foi ficando mais longe e difusa e só consegui ver que ela tentava argumentar alguma coisa.

A minha impressão é que ela estava negociando com o cara lá. Tentando "limpar sua barra" e tal...

Pois bem. As medicações estão sendo diminuídas e em breve, os aparelhos serão desligados e ela recobrará a consciência (16/02/2016). Porém, seu irmão nos informou que seria preciso mesmo amputar as duas pernas na altura do joelho e um braço, na altura do cotovelo.

Tenho orado muito por ela e enviado boas vibrações para que, no fundo, ela entenda e aceite sua situação. Entenda que tudo o que acontece é por Justiça Divina.

Comentário
Estando os Registros Akáshicos presentes no nosso DNA, é possível que ele se manifeste fisicamente. Isto é, marcas de nascença, doenças congênitas, características físicas.

Sendo o karma dessa moça, não poder gerar filhos, esta informação está gravada em seu DNA.

É mais ou menos isso...

Paz a todos!


Nenhum comentário:

Postar um comentário