26 de setembro de 2016

Agradecimento especial às plantas


Olá a todos!

Nesta manhã de segunda-feira, 26/09/2016, quero compartilhar com vocês um agradecimento especial... Um agradecimento às plantas!

Acordei cedo, por volta das 5:15 e vi o sol se levantar. Aproveitei para regar as plantas do meu jardim e, novamente senti aquela vontade de abraçar uma árvore.

Enquanto as regava, olhei para alguns galhos com as folhas danificadas, resultados da poda de uns 15 dias atrás. E fiquei pensando que aquilo ali era uma espécie de ferida...

Que cortávamos as plantas para que ficassem mais bonitas aos nossos olhos. Mas ainda assim, era um dano!

Me lembrei que minha filha mais nova não gosta quando eu podo as galhadas mais protuberantes. Dizendo-me, várias vezes:
- Pai, tu é Biólogo e tá destruindo a natureza!!!

Eu tento dizer-lhe que estou arrumando o jardim e, da mesma forma que cortamos o cabelo pra ficarmos mais bonitos, assim eu fazia com as plantas.

Ela então, corre pra pegar um balde com água e guardar os galhinhos que haviam sido cortados...

Revivendo essa memória, me senti profundamente tocado e vários pensamentos me vieram à cabeça.

Oração ao Cadáver Desconhecido
Na época de estudante, na aula de Anatomia Humana, lembro-me da Oração ao Cadáver Desconhecido, que a professora (Médica) dizia, nas vezes que estudávamos com cadáveres humanos:

"Ao curvar-te com a lâmina rija de teu bisturi sobre o cadáver desconhecido, lembra-te que este corpo nasceu do amor de duas almas; cresceu embalado pela fé e esperança daquela que em seu seio o agasalhou, sorriu e sonhou os mesmos sonhos das crianças e dos jovens; por certo amou e foi amado e sentiu saudades dos outros que partiram, acalentou um amanhã feliz e agora jaz na fria lousa, sem que por ele tivesse derramado uma lágrima sequer, sem que tivesse uma só prece. Seu nome só Deus o sabe; mas o destino inexorável deu-lhe o poder e a grandeza de servir a humanidade que por ele passou indiferente."
Karl Rokitansky (1876)
Ao cadáver, respeito e agradecimento

Senti a responsabilidade pesar ainda mais e o respeito à vida ganhar novos contornos no meu coração.

Outro momento particularmente emocionante, foi quando realizamos a nossa primeira dissecação - em um camundongo - na aula de Biologia Celular.

O professor que nos acompanhou era um Médico Veterinário e pronunciou palavras mais ou menos parecidas às da "Oração ao Cadáver Desconhecido", cuja mensagem central girava em torno do respeito, do propósito daquele sacrifício e da consciência que todos nós, alunos, deveríamos ter.

Aquilo foi muito tocante.

Voltando
Pois bem. Com essas memórias na cabeça, fiquei pensando que nas aulas de Botânica, nunca fizemos um agradecimento especial às plantas: ao sacrifício em prol da ciência, ou mesmo em prol da satisfação do ego humano.

Dessa forma, gostaria de despertar em vocês a necessidade de agradecermos à todas as formas de vida que nos servem e nos são úteis. Principalmente àquelas que são sacrificadas para atender às nossas necessidades vitais, como a alimentação, ou apenas atender ao nosso senso de beleza, como no caso dos jardins.

Terminei de regar as plantas com um sentimento bom, emanando às plantas, uma energia de agradecimento, de reconhecimento, de reverência e de compartilhamento de amor.

Paz a todos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário